Buscas são mais relevantes que compartilhamento

Apesar de muitas empresas iniciarem sua presença na Internet através de perfis gratuitos de redes sociais, nem sempre foi assim. Antes de existirem redes sociais como o Facebook que absorvem uma quantidade grande de tempo online dos internautas, as empresas investiam inicialmente em seus websites. Os sites das empresas por sua vez também tinham muito mais acessos do que hoje em dia.

Isso mudou porque o Facebook está presente de forma plena na vida das pessoas, é o app mas usado em celulares e tem uma variedade de ferramentas como o Chat e a conectividade com pessoas, que torna o Facebook muito atrativo, mas no final do tempo investido descobrimos que perdemos muito tempo para consumir pouca informação realmente relevante. O Facebook é evidentemente projetado para cativar as pessoas e isso é algo que fazem com total sucesso.

Acontece que do ponto de vista estratégico, se você tem um tempo e capital limitado, valeria muito mais a pena você deixar o perfil das redes sociais para segundo plano e investir pesado no conteúdo do seu website.

Dica: dependendo da estrutura do site, os seus perfis em redes sociais podem ser automaticamente atualizados com o conteúdo novo e recente do website.

 

Acontece que quando se está divulgando um trabalho, um serviço, um produto, é preciso primeiro gerar conteúdo para divulgar este produto, este conteúdo por sua vez, independente do tipo de conteúdo, é um conteúdo exclusivo e diferenciado e que tem valor digital na Internet.  Se você colocar ele diretamente dentro de uma rede social, apesar de poder divulgar ele, você terá doado o valor digital para a rede social. Acontece que a rede social depende muito mais de compartilhamento e de impulsionamento pago para chegar em clientes do que de pessoas que estão de fato pesquisando por produtos e serviços. Mesmo com os milhares de grupos, podendo se fazer pesquisa inclusive dentro dos grupos, das páginas, e do sistema inteiro, ainda assim depende de alguém incluir e inserir este conteúdo dentro destes grupos que são fechados. Ou seja, estar presente nas redes sociais é muito mais caro, precisa de mais tempo e mais dedicação do que estar presente na Internet.

Nem todo mundo usa o Facebook ou outras redes sociais para realizar suas pesquisas, e de fato o Google ainda é a principal autoridade em termos de busca do planeta. Através de um website com o conteúdo correto é possível ter o site aparecendo em resultados de buscas feitos por pessoas que buscam pelo produto ou serviço, o que é fantástico, pois as pessoas podem muitas vezes estar procurando apenas uma informação e porque encontraram o site, acabam consumindo muito mais informações sobre a empresa.

A mentalidade e atenção do visitante é totalmente diferente para as pessoas que estão acessando o site da empresa em comparação as pessoas que estão na rede social vendo o conteúdo da empresa.

A pessoa que está fazendo uma busca na Internet em um sistema de buscas como o Google ou Duckduckgo, estão realmente procurando algo, tentando achar algo que já lhe despertou interesse. Seja produtos ou serviços, a pessoa tem interesse sobre aquele determinado tópico seja por qual for o motivo. Se a empresa tem um website bem elaborado com conteúdo pertinente, os sistemas de busca identificam e catalogam estas informações para poder então enviar sugestões de respostas para as pesquisas efetuadas em seus sistemas. As chance de sua empresa aparecer são maiores, pois ao contrário das redes sociais, as empresas realmente presentes na Internet são bem menores em comparação a quantidade de coisas que se pode encontrar em redes sociais. Em redes sociais as empresas podem até deixar de existir mas o perfil pode ter sido abandonado e continuar online confundindo as pessoas.
O fato de que na busca a pessoa está interessada no produto ou serviço é fundamentalmente diferente, é outra mentalidade em comparação a pessoa que viu passar em sua timeline a informação compartilhada por algum amigo ou até mesmo impulsionada pela própria empresa.

A visita de uma pessoa interessada e intencionada em obter mais informações sobre o produto faz com que o seu acesso seja muito mais valioso. Através de pesquisa especifica a pessoa chegou ao website e está buscando informações pontuais sobre o que a empresa está diretamente oferecendo, as chances desta pessoa dedicar alguns segundos de seu tempo para consumir estas informações em seu website aumenta, e ela vindo para o site, evidentemente vai poder consumir mais informações sobre as atividades da empresa, seus serviços e produtos.

Em comparação, nas redes sociais, mesmo que a pessoa esteja diretamente dentro do perfil da empresa, este perfil tem um modelo padronizado que inviabiliza uma competitividade real entre as empresas. Embora a estrutura do Facebook esteja cada vez mais ampla em termos de configurações, ainda assim no final é uma estrutura mais limitada que um website evidentemente. Desta forma ficam todas as empresas restritas as mesmas oportunidades de comunicação. Além disso existem diversos outros elementos acontecendo na tela que podem desviar a atenção do usuário. Desde mensagens, avisos, notificações e inclusive propagandas. Este volume de outras informações evidentemente distrai e desvirtua a atenção do usuário com facilidade para outros tópicos.

Por isso que eu disse que é fundamental investir principalmente no conteúdo do website da empresa. Este conteúdo sempre irá atrair mais visitantes e acessos, enquanto que também poderá ser compartilhado nas redes sociais causando buzz e atraindo pessoas de lá. O que é errado é projetar uma estratégia que visa disseminar e distribuir conteúdo exclusivo em redes sociais, pois isso é literalmente doar dinheiro para outra empresa sem antes investir na sua.

Comentários

Ricardo Cury

Desenvolvedor de websites desde 1998. Diretor de negócios da Delta Design, autor de conteúdo no RGSTur, Desenvolvedor do Revista Internet, Webmaster no O Café, desenvolvedor do Turismo de Compras, videomaker, produtor e criativo em diversos projetos web. I LOVE INTERNET