Olhar para o mundo com o foco no conteúdo digital

São quase 20 anos meus de atuação com Internet. Todo esse tempo teve seu preço; Não consigo ver o mundo sem mesmo que inconscientemente ver a perspectiva digital de tudo o que vivencio, seja um negócio que acabo conhecendo, uma conversa (as vezes até de outras pessoas) e todos os tipos de arte e entretenimento.

Quando vejo um curso legal em alguma escola, inevitavelmente penso em como aquele conteúdo poderia agregar valor a muito mais pessoas se estivesse de forma bem estruturada online.

Quando converso sobre uma peça de teatro, inevitavelmente penso em como transformar aquele material artístico em um conteúdo digital online.

Talvez eu seja old-school por acreditar que acesso a informação deveria ser gratuito e amplamente disponibilizado. Depois de conhecer tantas pessoas que sabem ensinar de maneiras tão práticas e fáceis de aprender, acredito que se estivessem em vídeo estes materiais, poderiam estar ajudando muito mais pessoas.

Da mesma forma eu vejo produtos, cada pessoa que conheço que desenvolve um produto diferenciado, eu começo a pensar em como este produto poderia estar sendo vendido de forma dinâmica e automatizada pela Internet. Também penso assim sobre a grande maioria dos serviços que descubro que existem.

Minha gente, tem tanta coisa legal nesse planeta que vale a pena guardar uma cópia digital, sejam informações, fotos, vídeos, áudios. Tem muito conhecimento por ai que hoje infelizmente não se tem acesso porque as pessoas que geram estes conhecimentos ou sabem disseminar estes conhecimentos de forma exemplar em ambientes offline, acabam não dedicando nada de suas vidas para tornar este conhecimento disponível para todos de forma digital online.

Ai o que acaba acontecendo é que eu acabo tentando convencer estas pessoas em tornar seu conteúdo digital. Umas até pensam que estou tentando vender um produto ou serviço, o que é um pouco chato, afinal nem sempre estou pensando no lucro, mas sim nos resultados a médio e longo prazo que determinadas informações poderiam fazer de diferença  no aspecto social se estivessem livremente acessíveis na Internet.

Claro, qualquer iniciativa, quando estudada mais de perto começa a apresentar seus desafios, tudo tem sempre algo que pode ser um fator complicador, mas o que são estes problemas em comparação ao possível resultado de disponibilizar a informação.

Acho que professores deveriam ser os primeiros a liderar esta frente de disponibilização de informações, isso por si só já faria uma grande diferença no comportamento da comunidade. Ter abundância de opções para aprender algo, principalmente se estiver na língua natal do espectador, vai ser ser algo favorável para  toda comunidade.

Como Brasileiro, seu quanto é difícil as vezes encontrar uma versão de algum vídeo bom com tradução ou ao menos legenda. Apesar de eu ler e entender o inglês falado numa boa, muitas pessoas que conheço não tiveram este aprendizado, e portanto em muitos casos, dependem exclusivamente de alguém decidir fazer uma tradução. A tradução é que é o grande problema, poucas pessoas se dedicam a fazer estas traduções, e muito menos ainda se o formato onde a tradução será implementada for um vídeo, onde se precisa ter então conhecimento de editoração de vídeo.

A Internet precisa se manter e se tornar cada vez mais um mar de oportunidade. Enquanto tiver utilidade social será uma grande ferramenta de desenvolvimento e comércio, mas se a Internet aderir somente a cultura do comodismo seguindo o padrão da televisão, sinto estarmos então perdendo a oportunidade real da rede. Acho que pra refletir, eu pediria para todos pensarem sobre o que aprenderam na Internet ultimamente. Se quiser compartilhar conosco este pensamento, comente abaixo.

 

Comentários

Ricardo Cury

Desenvolvedor de websites desde 1998. Diretor de negócios da Delta Design, autor de conteúdo no RGSTur, Desenvolvedor do Revista Internet, Webmaster no O Café, desenvolvedor do Turismo de Compras, videomaker, produtor e criativo em diversos projetos web. I LOVE INTERNET