Religião diminui bondade entre as pessoas

Um vídeo emocionante no canal Atheist Experience chamou minha atenção. O programa de televisão consiste em receber telefonemas ao vivo e responder as perguntas de religiosos. Neste programa uma ligação incrível acontece. Uma senhora que acredita em religião por causa da promessa de vida após a morte. A senhorinha perdeu sua irmã muito jovem. Ela conta como a crença religiosa ajudou ela, a crença de que algum dia ela estará reunida com sua irmã novamente, e conta como no caso da sua irmã ter se suicidado, quando ela falou com um padre católico ele disse que pessoas suicidas vão para o inferno.

Neste sentido, a religião apesar de em um primeiro momento parecer algo confortante, na realidade é um veneno. Criando regras até para como se deve ou se pode morrer, a dor e falsa esperança que a crença religiosa traz pode durar a vida inteira. Enquanto isso os amigos do canal explicam para a senhora sobre ferramentas psicológicas e mentais que podem ajudar a pessoa a lidar com a perda de uma forma mais realista e humana.  Ao mesmo tempo apontam como por causa de uma crença uma pessoa pode acabar se tornando miserável a vida inteira, sem as ferramentas certas para lidar com a perda de entes queridos.

Sem dúvidas lidar com a perda de alguém que se ama é algo muito complicado. Mais complicado ainda se você cresce em uma cultura onde lhe é constantemente ensinado que existe uma “vida eterna” e que você irá se encontrar com todas as pessoas que você ama, para viver eternamente junto com algum suposto deus. Não existe porém evidência alguma que sugira que possa existir uma vida após a morte. Todos os elementos que consideramos consciência estão de fato alojados dentro do nosso cérebro físico, portanto até mesmo elementos de reconhecimento de pessoas, as memórias que temos destas pessoas são elementos físicos.

É notório porém que se as pessoas tivessem mais presente a sensação de que esta é a única vida que existe, ou seja, que não existe uma vida após a morte, elas teriam maior tendência a serem mais cordeais, mais humanas e bondosas para com as demais pessoas.
Enquanto existir o pensamento, embora não justificado, de que existe uma vida após a morte, pessoas sempre poderão desdenhar das oportunidades de agora pensando que no futuro irão ter a chance de repararem os seus erros na vida eterna.

Embora ateísmo seja apenas a descrença nas afirmações sem evidência de que um deus exista, isso implica em também não acreditar que uma vida após a morte exista enquanto não houver evidência alguma para se acreditar nisso. Por este motivo, lidar com as pessoas e com a vida, a única que vida que temos, se torna muito mais precioso. Cada segundo é uma oportunidade existencial exclusiva e única.
Ao mesmo tempo, lidar com a morte, e a perda também se torna menos sofrido, pois passamos a prestar muito mais atenção nas pessoas que amamos. Passamos a aproveitar cada oportunidade que temos, para dizer para estas pessoas o que sentimos e aproveitamos cada oportunidade para expressar nosso amor.

No final do vídeo podemos ver como a senhora que ligou se emociona ao ver a visão muito mais realista e amorosa dos ateus, que entendem quanto a vida é preciosa e quanto precisamos cuidar muito mais uns dos outros.

 

Comentários

Ricardo Cury

Desenvolvedor de websites desde 1998. Diretor de negócios da Delta Design, autor de conteúdo no RGSTur, Desenvolvedor do Revista Internet, Webmaster no O Café, desenvolvedor do Turismo de Compras, videomaker, produtor e criativo em diversos projetos web. I LOVE INTERNET